domingo, 28 de dezembro de 2014

Escabeche de codorniz na mesa dos portugueses....

Esta semana partilho a receita que esteve entre as 48 melhores receitas do concurso a mesa dos portugueses. Enjoy
Ingredientes:
4 unidades de codorniz
0,5 Ml de Vinagre de  vinho branco
0,250 ml de Azeite
2 unidades de Louro
1 Haste de Alecrim
1 cebola média
1 cenoura média
1 colher de sopa de colorau
1 colher de sopa de salsa
sal e pimenta q.b.



Como preparar:
MÉTODO DE CONFECÇÃO:
Separa-se as pernas dos peitos das codornizes e tempera-se de sal, pimenta e colorau. Levar a corar a codorniz no azeite em lume alto, e quando estiverem coradas adicionar o alho laminado, tendo o cuidado de não alourar o alho em demasia. Baixar o lume e adicionar o loiro o alecrim, os cravinhos, a cebola laminada, a cenoura ralada. Regar este preparado com o vinagre e agua a ferver até cobrir o preparado. Cozinhar até ficar tenro. Temperar a gosto com sal e pimenta moída na hora. Adicionar a salsa picada. 


Pode acompanhar com umas pequenas tostas na altura em que servir.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

O meu creme de camarão...

Umas quantas cabeças de camarão, umas quantas aparas de vegetais e mais uns aromáticos e a magia  e sabor transparecem abrindo portas a um festim....




6 cabeças e cascas de camarão
25 ml de vinho branco
10 ml de brandy
1 dl de agua
Aparas de legumes
2 colheres de azeite
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de farinha
2 tomates
1 bouquet garni (composto por tomilho, salsa, louro e tomilho)

Juntar as cascas e as cabeças dos camarões num tacho com manteiga e dourar. Quando estiver bem dourado , juntar o brandy e flambear. Com uma espátula raspar bem o fundo e laterais do tacho. Juntar as aparas dos legumes e deixar amolecer. Juntar dois tomates, sem pele  e sem sementes e a farinha e mexer bem. Adicionar a agua e o bouquet garni. Quando levantar fervura reduza o lume e vá coando alguma da espuma que se forma á superfície. Deixe cozer durante 30 a 40 minutos.Triture o preparado e coe o caldo e sirva...Bon appetit...

domingo, 23 de novembro de 2014

Acidentes felizes ou pudim de chá preto!

Descobri esta receita numa colecção de livros antigos que tenho cá em casa e tinha que experimentar. Muito saborosa, mas agora não sejam lambões como eu, que não quis esperar que o pudim arrefece-se, e ele, literalmente começou a destruir-se por completo à minha frente quando tentei desenforma-lo. Tive que recorrer assim, de pequenos pedaços sobreviventes do meu ataque prematuro para conseguir tirar uma foto decente.
Após algumas experiências gostei do resultado final e muito mais do sabor do meu primeiro pudim de chá preto ( da próxima irei experimentar com chá verde). Enjoy





Pudim de chá
Ingredientes:
6 ovos inteiros
4 gemas
150 g de açúcar
1 colher de sopa de chá preto
½ de leite gordo

Caramelo:
75g de açúcar
1dl de água

Preparação:
Num tacho pequeno, faça um caramelo claro com o açúcar e a água. Deixe ferver, mexendo apenas no inicio para derreter uniformemente o açúcar. Quando o caramelo estiver com uma cor dourada, verta-o imediatamente numa forma previamente untada com a manteiga.
Bata as gemas e os ovos inteiros com a varinha magica. Introduza em seguida o açúcar e volte a bater. Deite o leite num tacho e deixe levantar fervura. Em seguida adicione o chá e deixe ferver de novo durante 2 minutos, tape e deixe arrefecer.

Passe a infusão anterior pelo passador e acrescente-a à gemada. Mexa tudo rapidamente, encha a forma e tape-a com uma tampa ou se não a tiver com folha de alumínio. Coloque a forma num tabuleiro com cerca de 3 cm de agua a ferver, leve ao forno pré-aquecido a 180 graus durante 15 minutos e depois baixe o calor para 150 e deixe cozinhar durante 35 minutos. Quando o pudim tiver arrefecido completamente, leve-o ao frio durante pelo menos 3 horas antes de o desenformar.

sábado, 15 de novembro de 2014

O humilde arroz de atum!

Sem ser necessário muitas palavras, este modesto prato foi sempre desde miúdo o meu prato favorito. Houve uma altura, que nem á lei da bala conseguiam-me convencer a comer, mas lembro-me que este era um dos poucos pratos que conseguia devorar e até (para quem odiava comer) repetir a dose. Deixo aqui a receita do meu modesto e humilde arroz de atum. Enjoy!

Conserva de atum (em azeite)
2 und
Cebola média
1 und
Pimento verde pequeno
1 und
Alho picado
2 und
Tomate pelado
3 und
Vinho branco
50 ml
Folha de louro
2
Malagueta
2 und
azeite
0,100 ml
Arroz carolino
0,200gr
Caldo de peixe (caseiro)
0,700ml
Salsa fresca picada
1 colher de sopa

Numa panela colocar o azeite, a cebola picada, o pimento picado, o tomate cortado aos cubos, a folha de louro e as malaguetas. Quando começar a alourar adicione o alho picado finamente e deixe alourar ligeiramente.adicione o vinho e deixe reduzir um pouco para o alcool do vinho evaporar. Adicionar o caldo de peixe e deixe ferver em lume médio durante 10 minutos. Levantar a fervura e adicionar o arroz. Deixar cozer em fogo médio (12 a 15 minutos). Quando cozido adicione o atum escorrido, temperar a gosto com sal e pimenta e colocar a salsa picada no final

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Halloween e creme de abóbora para acompanhar

Dia 31 de Outubro e mais um halloween como é conhecido na cultura anglo-saxónica. Infelizmente esta celebração não é tão celebrada e tão difundida como outras celebrações pagas e comerciais ( pelo menos em terras lusas ). Para mim é um das minhas alturas festivas favoritas. Adoro o folclore e ambiente que gira a volta deste dia.Aprecio as estórias de  terror, criativas e sombrias e claro dos biscoitinhos de gengibre (essa receita fica para outra altura....) Hoje deixo por aqui outra receita, igualmente tradicional nesta altura, um creme aveludado de abóbora.







E para evitar desperdicios e dar um ar festivo ao dia, fica o meu Jack o´Lantern


- Ingredientes:
6 colheres de manteiga
1 kg de abóbora
0,5 de cenoura laminada
3 cebolas médias laminadas
2 dentes de alho laminado
1 haste de alecrim
Caldo de aves ou vegetais ( o suficiente para cobrir os vegetais)
sal e pimenta


Preparação:
- Levar a forno quente a abóbora até ficar bem gratinada. Reservar. Entretanto refogue a cenoura a cebola e o alho na manteiga. Adicione a abóbora gratinada, o caldo e a haste do alecrim. Deixar cozer bem até que os vegetais se desfazem facilmente.Retire a haste de alecrim e passe pela varinha mágica. Se quiser um creme mais aveludado, passe o creme por um passador ou por um passador de rede. Tempere a gosto e bom apetite.

domingo, 19 de outubro de 2014

Mais experiências e caril de camarão...

Mais uma experiência saída do meu laboratório e desta vez um saboroso caril de camarão, apesar que confesso que  o meu forte não é o marisco( eu considero-me carnívoro logo ai a inexperiência),....Enfim experimentem e deixo ao vosso critério. Eu adorei e espero que apreciem o mesmo. Aqui fica a receita.Enjoy





100 G DE CEBOLA PICADA 
3 A 4 DENTES DE 
ALHO 
60 gr de oleio de amendoim ou manteiga clarificada
lemon GRASS FRESCA
600 G DE 
CAMARÃO CALIBRE 30/40 
2 COLHERES DE SOPA DE POLPA DE
TOMATE 
1 colher de sopa de fish sauce
1 colher de sopa de garam Massala
2 COLHER DE SOPA DE CARIL 
1 colher de sopa de acafrao das indias
1 colher de cha de coentros em pó
2 estrelas de anis
1 pau de canela
3 DL DE LEITE DE COCO 
SAL  ) 
1 Malagueta sem sementes
COENTROS PICADOS
sal e pimenta a gosto.


Aloure a cebola e os dentes de alho, descascados e picados, num tacho com o óleo. Perfume com uma haste de Lemon grass picada. Adicione a polpa de tomate. Noutro aparelho deixe tostar ligeiramente as especiarias até começarem a soltar o seu cheiro. Misturar este preparado ao refogado. Misture bem e deixe suar, tapado mais 5 minutos. Destape e junte as gambas e o leite de coco. Deixe apurar e cozer lentamente até as gambas estarem cozidas.

Polvilhe com a malagueta vermelha laminada e coentros picados.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Perna de cordeiro cozida em barro....Viemos da argila, tomamos á argila...

"Hoje vou encontrar-me com um cavalheiro
Ele gosta tanto de mim que até me podia comer
Partes moles e mesmo duras
Estão no menu

Porque tu és aquilo que comes
E tu sabes o que é
É a minha parte -Não" 

A enfadonha lamina esta boa e em condições
Estou a sangrar muito e a sentir-me doente
Embora tenha de lutar para me manter acordado
Eu continuo a comer mesmo com convulsões"  

Rammstein - Mein Teil

Em jeito de homenagem a uma das minhas séries favoritas (Hannibal), tentei recriar um dos pratos do famoso e carismático Dr.Hannibal Lecter, conhecido pelos seus gostos excêntricos, dotes culinários e canibal nos tempos livres.
Para esta receita utilizei perna de cordeiro e não a proteína sugerida (perna humana) na serie por motivos morais, éticos e diga-se de passagem, judiciais e legais...
Um dos motivos que atraiu-me para a realização deste prato foi a curiosidade em cozinhar em barro. O resultado final traz uma carne suculenta e tenra.
 O próprio acto de partir o barro na mesa também acrescenta teatralidade á refeição e algum show-of...

Ingredientes:
- 1 perna de cordeiro sem osso (aprox 1kg)
- 100 gramas de toucinho
- 500 ml de vinho branco
- 2 colheres de sopa de colorau
- 1 colher de chá de grãos de pimenta preta esmagados
- 4 cravinhos da índia esmagados
- 1/2 colher de chá de açafrão
- 2 cebolas grandes
- 1 cabeça de alho
- 1 ramo de salsa
- 3 folhas de loureiro
- Azeite q.b.
- 200 gramas de banha de porco
- 2 limões
- Vinagre
- Sal grosso
- Papel vegetal para envolver a perna de cordeiro
- 1kg de barro

Limpar e retirar o bedum do cordeiro e deixar durante 12 horas em água, limão e vinagre no frigorífico.
Findo este tempo, escorrer bem e preparar a marinada juntando vinho verde, colorau, os grãos de pimenta esmagados, quatro cravinhos esmagados, cebola, cabeça de alhos, salsa, folhas de louro, azeite, banha de porco e sal grosso. Barrar por dentro e por fora com a marinada. Deixar a marinar em temperatura ambiente durante uma hora.
Retirar a perna de cabrito, retirar o excesso da marinada,e rechear com o toucinho. Envolver com o papel vegetal. Estender o barro, colocar a perna de cabrito no meio. Moldar o barro á volta da perna tendo o cuidado de não haver fugas nem buracos no barro. Com o excedente do barro decorar a gosto. Levar a forno quente (220 +/- graus) durante 1:30.


Bon appetit

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Chessecake e mais cerejas para adoçar a boca....

Esta semana, seguindo a linha da cereja, trago-vos mais uma receita para adoçar a boca. Uma deliciosa sobremesa de chessecake com compota de cereja . Apresento aqui um chessecake rápido, mais ou menos preguiçoso, em que não utilizei gelatina. No crocante da bolacha, fui ao encontro de algumas influências minhas, neste caso Heston Blumenthal , onde lhe roubei a ideia de utilizar as petazetas para criar um elemento novo no prato. Heston sugere e concordo, que nunca devem avisar os convivas para estragar a surpresa....




Receita:

do creme:
400 gramas de queijo creme
1 colher de essência de baunilha
6 colheres de açucar em pó
Sumo de 1/2 limão
600ml de natas

da compota:
300gramas de cerejas
2 colheres de açucar
1 colher de sobremesa de licor beirão

do crocante:
8 bolachas maria
6 colheres de açucar
75 gramas de manteiga sem sal
1 colher de sopa de peta zetas de morango

- Desfazer as bolachas num processador de comida, juntamente com a manteiga. Adicionar a manteiga derretida. Quando arrefecer junte as peta zetas.

- Num tacho adicione o açúcar, as cerejas já descaroçadas e o licor beirão. Deixe cozinhar lentamente até as cerejas ficarem moles.

- Bater o queijo com o açúcar e a essência de baunilha até ficar um creme suave. Adicione o limão. Numa outra taça bata as natas até começarem a engrossar. Junte as natas ao preparado do creme de queijo.

- Empratar como na foto.
Bon appetit

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Gaspacho de cereja...Será desta que vamos ter verão?

Está ai calor, a boa disposição, o tempo azul e sorridente normal desta altura do ano...em por isso...Na realidade este ano parece que o verão não quer mesmo nada connosco!!! Mas sempre resta a bela e saborosa cereja que este ano até agora tive sempre sorte quando a comprei. Doce e ligeiramente acida foi o ingrediente principal da minha "carta" neste mês que se avizinha. Comecei, como normal, com uma entrada, e tal como Orfeu revoltado, decidi enfrentar este final de primavera rezingão que não quer mostrar ares da sua grandeza e candura, com um Gaspacho de cereja inspirado numa receita do Chef José Avilez. Uma receita com sabores frescos, que, por mais frio que faça, remonta-me sempre (pelo menos para mim) para aqueles lugares quentes de Verões de outrora.




Gaspacho de cerejas:
1 kg de cerejas já descaroçadas 
2 tomates
1 1/2 pimentos encarnados pequenos
1 pepino pequeno
1 cebola média
1 fatia de pão alentejano
1 dl de vinagre de framboesa
0,2 dl de azeite para guarnecer
Hortelã da ribeira q.b.
Vinagre de framboesa q.b.
Azeite q.b.
Sal q.b.
Pimenta q.b.

Corte o tomate, a cebola, o pimento e o pepino em rodelas (este ultimo depois de descascado e limpo de sementes).Junte o pão, o vinagre, o sal e o azeite. Deixe tudo marinar durante 12 horas.
Junte as cerejas. Triture o gaspacho com sal e pimenta.
Passe por um passador de rede. Sirva o gaspacho bem frio.

Bom apetite!!!

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Sintra e os seus travesseiros!!!

Desta vez saiu deste laboratório de sabores, um ex-libris da cozinha de Sintra. E como bom habitante do concelho de Sintra procurei honrar da melhor maneira este doce secular!!! Doce, crocante por fora, e mole por dentro, o travesseiro de Sintra perfaz uma perfeita aventura de sabores e contrastes de texturas. Espero ter dignificado a receita, apesar de desta feita, fiz um pouco de batota ao ter utilizado massa folhada já preparada. Um bem haja e espero que apreciem!!!





Água de flor de laranjeira: 2 colheres de sopa
Canela: 1 colher de chá
Açúcar: 500 g
Gemas: 10
Doce de chila escorrida: 200 g
Amêndoas peladas e raladas: 150 g
Canela em pó: 1 colher
Açucar em pó
Massa folhada 200 gramas (  Fiz um pouco de batota ao ter utilizado massa folhada já preparada, mas se estiverem atentos nas próximas publicações, irei colocar aqui uma receita que raramente falha de massa folhada!!!!

Com o açúcar e 2,5 dl de água deixe ferver durante dois minutos junte a água de flor de laranjeira. Deixe ferver um minuto e retire do lume.
 Junta-se à restante calda á amêndoa e adicionar igualmente o doce de chila.
Retira-se do calor e deixa-se amornar.
Batem-se ligeiramente as gemas, junta-se um pouco do doce anterior, mexe-se e junta-se o restante.
Leva-se ao lume mexendo sem parar, em lume brando até começar a espessar.
Deixe arrefecer ligeiramente o preparado interior. Uma vez morno recheie pequenos rectângulos de massa folhada. Enrole em pequenos travesseiros e feche bem as pontas desse travesseiro. Polvilhe com canela e açucar em pó e leve este preparado a forno quente até dourar.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Lições do abismo...e açorda de marisco!!!

Mais uma experiência, mais uma receita e mais memorias... Todos os meu pratos por norma vêm de um local a que eu chamo de abismo. Abismo esse que não são mais do que as minhas memorias de infância. Aquilo que ontem  fui e que já pertenci, foi de outra pessoa que já não é presentemente. Recordo-me que detestava este prato em especial e o porque dos mais adultos acharem que era uma iguaria fora do comum...Pois ingénuo era eu...pois infelizmente era daquelas crianças que detestava comer e hoje finalmente descobri que esse é um dos maiores prazeres...Outras tantas primaveras e outonos mais tarde trago um prato que é hoje um dos meus favoritos. Já agora ao contrário de outras açordas, gosto de utilizar a broa, porque dá uma textura que recorda-me, novamente, as papas de milho que comia quando era mais novo!!! Estas meninices e memorias que estão sempre ligadas a nós,.Uma forma de simbiose que nos permite evoluir e nos construir enquanto indivíduos!!! E é essa individualidade que nos permite crescer enquanto amantes de cozinha, mas paradoxalmente, também de mimar aqueles que amamos ao presenteá-los com o melhor que sabemos fazer e partilhar aquilo que muitas vezes aprendemos sozinhos nos nossos pequenos laboratórios a que chamamos de cozinha.


  • 500 g de camarão ;
  • 500 g de broa de milho ;
  • 3 dentes de alho ;
  • 4 colheres de sopa de azeite ;
  • 1 ramo de coentros (pequeno) ;
  • 3 ovos ;
  • sal ;
  • pimenta ;
  • piripiri
  • Coentros picados
Confecção:
Cozer os camarões em pouco água e côa-se esta.
Junta-se a água do camarão e leva-se ao lume a concentrar. Rega-se o pão com esta água.
Alouram-se os dentes de alho com o azeite e introduz-se  o raminho de coentros. Deixar fritar durante 1 minuto e juntar o pão. Mexer com uma colher de pau de modo a obter-se uma açorda homogénea mas muito mole.
Retirar os coentros e tempera-se com sal, pimenta e piripiri.
Introduzir camarão na açorda, envolver e retirar do lume.
Juntam-se imediatamente os ovos, envolver bem e polvilhar com os coentros.

sábado, 12 de abril de 2014

Momento discos pedidos...Hummus de grão e beterraba!!!

Num momento de fraqueza ou mais, diria antes segurando naquela expressão popular tão nossa e tão portuguesa, em jeito de discos pedidos, finalmente cedi e exponho pela primeira vez uma refeição inteiramente vegetariana. Como nestas andanças e aventuras gastronómicas que elaboro no meu pequeno laboratório são mais vocacionadas para produtos mais "carnívoros", desta vez cedi e para meu agrado a coisa até correu bem...Como não sabia muito bem por onde começar, recorri e influenciei-me numa outra receita de Hummus, feita á base de grão e beterraba elaborada por Gordon Ramsay.

- 0,500 kg de grão de bico cozido
- 0,500 kg de beterraba cozida
- 1 dente de alho
- 2 colheres de sopa de Tahine
- sumo de um limão
- 2 colheres de sopa de azeite
- Sal e pimento q.b.
- Coentros para finalizar.

- Triturar o grão, a beterraba, o alho, o tahine até formar um puré. Ligar com o azeite e tempere com o limão, o sal e a pimenta. Finalize com coentros cortados grosseiramente.


Um grande bem haja e um especial cumprimento para a minha irmã adoptada Cláudia Macatrão que foi "forçada" a tornar-se vegetariana!!! 


quinta-feira, 10 de abril de 2014

Dia de degustações...Peixe em Lisboa

Sete anos depois e finalmente consegui ir ao já famoso, não só cá entre portas como a nível internacional. O celebre Peixe em Lisboa.

Este ano teve como chamariz uma conferencia com  José Avillez enquanto mediador, Cátia Pessoa (ceramista), Afonso Cruz (escitor), Julião Sarmento (artista plástico), Nilton (humorista) e Tozé Brito (compositor). O tema foi a criatividade e o discurso foi sempre animado, não fosse só pelo humor "bestial" no bom sentido, de Nilton como a maior descontracção que o chefe o Avillez já têm a comunicar neste tipo de evento. De resto todos os participantes do congresso estiveram bem activos, dando exemplos pessoais de onde aparece esse bicho de sete cabeças que é essa disciplina, a criatividade.O publico, esse, sempre activo procurando participar no evento colocando questões aos convidados.


 Findo o congresso, o melhor momento do dia, ataque á paparoca. Tive a oportunidade de provar uma degustação de ceviche de salmão servido em cornucópia do restaurante Assinatura. Sabores frescos, bem acompanhados com pedaços de maça verde, e claro as notas subtis de lima a completar o ceviche. O que funcionou igualmente nesta degustação foi a cornucópia agridoce que  acompanhava o ceviche.
 Já agora nesta refeição acompanhei com um vinho Periquita Rosé.
 De seguida dirigi-me a banquinha de um velho conhecido meu. O Umai do chef Paulo Morais do qual já experimentei algumas receitas. Procurei uma sopa vietnamita com base num caldo de peixe. Todos os ingredientes no ponto, o caldo e os nodlees deliciosos, mas só achei que o sabor das malaguetas ( e o picante) sobrepôs-se  um pouco em relação ao resto do prato.
Final do dia e um showcooking com o chef Herminio Loureiro. Respeito o facto de ser um chefe que já deu grandes mostras do seu valor, de ser grande conhecedor da gastronomia portuguesa e da sua historia, mas infelizmente o seu discurso preso ao passado arrasta-o para o idealismo do velho do Restelo. No showcooking o Chef Herminio cozinhou três pratos com Skrei ( uma variedade de bacalhau). Posso dizer que fiquei fã desta proteína e especialmente do skrei utilizado em tártaro. Infelizmente chegou a hora da despedida. Espero que para o ano haja mais uma oportunidade de visitar esta iniciativa.

Salut et bon apettit...

terça-feira, 25 de março de 2014

Chocolate...frango e experiências...



 Mais uma experiência vinda directamente do meu laboratório, e mais uma sugestão para o passatempo proposto…Desta vez  chocolate num prato salgado…e não é que resulta!!!

Para o frango
- 1 frango cortado em oito
- 4 laranjas com bastante sumo
- 1 ramo de alecrim
- 1 ramo de tomilho
- 4 colheres de sopa de azeite
- Sal e pimenta q.b.

-Marinar o frango juntamente com todos os ingredientes durante 6 horas no frigorífico.
- Passadas as 6 horas, retirar o frango e aquecer o forno a 180 graus.
- Numa frigideira, corar bem o frango dos dois lados. Levar ao forno durante 12 minutos, ou até a carne deixar de escorrer fluidos.
Para o molho de porto e chocolate negro
- 1 cebola pequena picada
- alho esmagado e com casca
- 1 cenoura picada
- 1 colher de sopa de açúcar mascavado
- 0,200 ml de vinho do porto
- Marinada do frango
- 0,30 gramas de chocolate 70%
- 2 colheres de manteiga
- Sal e pimenta q.b.

 - Na mesma panela onde corou o frango, salteie a cebola, o alho e a cenoura em lume alto até começar a caramelizar ligeiramente. Junte o vinho do porto e flambeie o preparado ( cuidado para não queimar os cabelos e companhia).Deixe reduzir até formar uma espécie de xarope e junte o preparado da marinada e o chocolate. Em lume brando, dissolva o chocolate e deixe reduzir até formar um molho viscoso e consistente. Junte 2 colheres de manteiga e dissolva bem. Passe o preparado por um passador e tempere a gosto. 

sábado, 22 de março de 2014

Dois anos e bolo de baunilha bem acompanhado para comemorar!!!!



Dois anos, mais de 30 receitas e muitas aventuras na pequena  cozinha a que eu chamo de laboratório. O que começou para ser um blog dedicado  somente á fotografia, acabou, felizmente, por ser o reencontro de uma antiga paixão…cozinhar e acima de tudo, comer bem!!!  Foi aqui que descobri que a melhor prenda, o maior gesto de carinho, é partilhar a nossa paixão num prato. Espero continuar este percurso por mais tempo e quem sabe sonhar um pouco mais alto…Quem sabe um livro de receitas ???
Melhores momentos: Sempre que consegui “arrancar” um sorriso de satisfação a alguém que prova-se os meus pratos…Geralmente à minha sobrinha mais nova. A critica culinária mais exigente que conheço!!!
Piores momentos:…Rissoto de Sapateira com gelado de tomate…o que é que meu deu na cabeça para experimentar isto…
Enganadoramente fácil de fazer, hoje, no aniversário do blog, deixo uma receita para os mais aventureiros e também mais persistentes. Esta receita (que são quatro numa só) é uma variação de uma das minhas receitas mais bem sucedidas entre os convivas que já estiveram presentes á minha mesa…Leite creme de café com espuma de licor beirão transformado em cupcake… Espero que gostem e bom apetite!


Cupcake de Baunilha
250 gramas de manteiga á temperatura ambiente
4 ovos
250 gramas de açúcar
250 gramas de farinha de trigo
 1 colher de sopa de fermento em pó
1 vagem de baunilha ou uma colher de sopa de essência de baunilha

- Bater a manteiga com os ovos, açúcar e a baunilha ( se usar a vagem, cortar longitudinalmente e aproveitar todas as sementes) até formar um creme espesso e consistente. Misturar a farinha e o fermento neste preparado. Envolver bem.
Levar a forno previamente aquecido a 160 graus.

Leite creme de cáfe:
- 0,250 ml de leite
- 1 pau de canela
- 1 raspa de limão
- 1 raspa de laranja
- 1 café
- 4 gemas de ovo
- 0,50 gramas de açúcar

Aquecer o leite juntamente com os primeiros 5 ingredientes e deixar nesta infusão durante 20 minutos. Noutro aparelho bata as gemas com o açúcar até começarem a ganhar volume e esbranquiçadas. Juntar este preparado no leite e mexer constantemente até começar a ganhar a consistência de um creme inglês. (Esta receita permite, igualmente, fazer excelentes gelados de café).

Macarron de Baunilha:
45 gramas de farinha de amêndoa
20 gramas de farinha de trigo sem fermento
100 gramas de açúcar em pó
Claras de 2 ovos
20 gramas de açúcar em pó
1 colher de sopa de essência de baunilha

Juntar a farinha de amêndoa, a farinha de trigo e o açúcar em pó e envolver bem. Peneirar este preparado.
Bater as claras até estarem quase a ficarem em castelo e adicione aos poucos o açúcar em pó, até formar um merengue consistente e brilhante.
Envolver aos poucos o preparado seco no merengue.
Coloque a mistura num saco de pasteleiro, e forme pequenos “biscoitos” num tabuleiro de ir ao forno.
Deixe descansar por 40 minutos.
Levar ao forno durante a 170 graus durante 15 minutos, e reduza o forno até aos 120 graus nos últimos 8 minutos.
- Deixe arrefecer e pode retirar da forma
Creme de Mascarpone e licor beirão
- 100 ml de natas
- 100 ml de mascarpone
- 1 colher de sopa de licor beirão

Bater as natas até ficarem com a consistência de um chantilly. Bater bem o queijo e envolver  nas natas juntamente com o licor beirão.

Empratamento:
- fazer um pequeno buraco no cupcake e colocar um pouco do creme de café. Colocar a espuma de licor beirão juntamente com o macaron.
Faltou só um ingrediente muito especial…Muito carinho por aquilo que fazem na cozinha!!!

domingo, 16 de março de 2014

Poucas palavras são necessárias...puré de batata doce!!! My favourite



Desta vez para ser diferente uma guarnição que acompanha praticamente ....tudo!!! Uma das minhas favoritas, pure de batata doce!!!

Ingredientes:
- 0,500 kg de batata doce
- 100 gramas de manteiga
- 100 ml de natas

Preparação:
- Cozer bem a batata e depois de cozida passar por um passvite, adicionar a manteiga e as natas e envolver bem. Temperar a gosto. Bom apetite.

domingo, 9 de março de 2014

O salmão...Molho de tomate "Nero"...Fondant de batata negra e pure de batata e funcho....

Para celebrar o ultimo passatempo oferecido pelo blog da Tertúlia da suzy, apeteceu-me entre aspas, partir a loiça toda e sair da minha zona de conforto. Geralmente procuro um estilo mais rústico, mas neste desafio quis experimentar outras técnicas e apresentação diferente daquilo que habitualmente produzo. Para este ultimo passatempo “ a escolha do ingrediente” foi sugerido o salmão, e a par do nosso bom bacalhau é um dos meus peixes favoritos. Mais uma vez obrigado pelo desafio lançado pois esta foi mais uma forma de aventurar-me no meu pequeno laboratório a que chamo de cozinha.


Ingredientes:
Para o salmão:
- 1 lombo de salmão
- sal e pimenta q.b.
Para o molho de tomate:
- 4 tomates
- 1 cabeça de alho
- 1 pimento pequeno
- 1 cebola cortada ao meio
- 1 colher de cha de orégãos
- 4 colheres de sopa de azeite
- 1 colher de sopa de vinagre balsâmico
- sal e pimenta q.b.
- 1 colher de sopa de tinta de choco
Para o puré de batata e funcho:
- 4 batatas de tamanho médio cortada em cubos
- 1 funcho cortado aos cubos
- 4 colheres de sopa de manteiga
- 0,100 ml de leite gordo ou natas
- Sal e pimenta q.b.
Juntar o molho de tomate:
- Começar por aquecer o forno até aos 220 graus. Juntar todos os ingredientes (a exceção da tinta de choco), envolva o azeite e o vinagre no preparado anterior e levar ao forno até gratinar bem o preparado. Mais ou menos durante 20 minutos. Retirar do forno, triturar bem, passar por um passador e reserve. Aqueça o molho numa panela e misture a tinta de choco e deixe cozinhar em lume brando durante 10 minutos.
- Para o puré de batata e funcho:
Levar a cozer a batata e o funcho até ficarem bastante tenras. Passar esta mistura pelo pass-vite e juntar a manteiga e o leite e envolver bem. Tempere a gosto e passe este preparado por um passador para ficar um puré leve e cremoso.
Para o salmão:
- Levar o salmão a um sauté bem quente e marcar o peixe do lado da pele. Baixar o lume e deixar cozinhar durante +/- 3 minutos. Virar o salmão e deixar cozinhar durante mais 3 minutos. Servir de imediato.
Dificuldade: Para os mais audazes
Tempo: 1:30

Calorias: ………esqueçam……

sexta-feira, 7 de março de 2014

Tarte de chocolate...caindo na tentação da paixão...

Caindo na tentação do pecado original...chocolate o alimento dos deuses e da luxuria. E quando se junta maracujá (ou passion fruit), a tentação atinge o seu auge...Esta é a receita do desafio lançado do 2 aniversário do blog prazeres desconhecidos...Espero que gostem!!!
Ingredientes:
Para a base de bolacha:
- 175 gramas de bolacha Maria
- 30 gramas de margarina derretida
- 2 colheres de sobremesa de açúcar

Torrar a bolacha durante 10 minutos no forno a temperatura de 180 graus e reservar, deixando-a arrefecer. Partir a bolacha em bocados pequenos e levar ao processador juntamente com o açúcar e a margarina até formar uma farinha.

Para a ganache de chocolate e maracujá:
- 220 ml de natas
- Polpa de 5 maracujás
-180 gramas de chocolate
- Levar ao lume as natas e polpa de maracujá e deixar cozinhar durante 5 minutos sem levantar a fervura.
- Derreter o chocolate em banho maria
- Coar a infusão de maracujá e misture com o chocolate derretido, envolvendo delicadamente.
- Montar uma base com a bolacha maria e depois verta a ganache no topo da bolacha.Maria
- Coloque no frigorífico por 2 horas, e depois ao congelador por 4 horas.
- Retire do frio 1 hora antes de empratar.
Dificuldade: Não dá para suar
Tempo: 20 minutos mais 7 horas no frigorífico e congelador.
Calorias: Ainda vale a pena conta-las???

quarta-feira, 5 de março de 2014

PASSATEMPO 2º ANIVERSÁRIO DO BLOG PRAZERES DESCONHECIDOS


Dois anos, já passaram e parece que foi só ontem que ainda estava a debater-me se devia ou não iniciar este percurso de construção de um blog de cozinha. Vários receios passam na mente, mas o facto e ultima realidade é que quando gostamos de alguma coisa, devemos agarra-la com todas as forças. Têm sido um percurso bastante interessante e que gosto e gostaria de continuar a partilhar com todos aqueles interessados no mundo da culinária. Como tal vou arriscar pela primeira vez organizar um passatempo referente ao segundo aniversário do blog prazeres desconhecidos, espero que participem, sintam-se inspirados e que corra tudo bem!!!
Já agora, e convém enunciar, o ingrediente principal é o chocolate, que para além de ser um dos meus ingredientes favoritos, se não me engano, os dois primeiros pratos que publiquei tinha o chocolate como herói (fondant de chocolate e codorniz com puré de funcho e molho de chocolate amargo). Mais uma vez, dêem asas a vossa imaginação arrisquem e partilhem as vossas receitas...Obrigado!!!
Regras para o passatempo:

- Publicar neste post o link com a vossa receita com chocolate (entrada, prato principal ou sobremesa)
- Divulgar no vosso blog ou facebook este passatempo
- Quem não tiver blog ou facebook pode enviar a receita e respetiva fotografia para o email: joaquimcaveiras@hotmail.com
- Ter residência em Portugal (continental e Ilhas)
- Cada participante pode enviar até duas receitas
- Fazer "gosto" na pagina do facebook  www.facebook.com/PrazeresDesconhecidos

O passatempo decorre a partir de hoje, 05-03-2014 e termina a 31-03-2014 ás 23h59mn, o vencedor será anunciado até ao dia 5 de Abril de 2014, onde será enviada uma pequena lembrança correspondente ao passatempo. 
O vencedor será escolhido através do www.random.org.

Caso tenham alguma duvida poderão enviar um mail para  joaquimcaveiras@hotmail.com

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Caril de atum na cozinha de mais um "cozinhador"


Uma maneira diferente de dar sabor ao nosso bom atum de conserva sugerido pelo “cozinhador” Malagueta Man (o link para o seu blog está no final da receita). Um dos pontos fortes deste prato, é quando estamos a cozinhar, sentimos uma explosão de aromas, que perfumam a casa toda. É uma boa sugestão para fazer um prato diferente, elegante, saboroso, mas ao mesmo tempo possui produtos acessíveis e alguns bastantes comuns nas dispensas portuguesas. Espero que gostem tanto como eu pois eu sem dúvida irei repetir mais vezes. 

Ingredientes:
Para o Caril:
2 Colheres de sopa de oleo de palma
1 Colher de sopa de caril
Vinagre de sidra QB
1 Colher de sobremesa de açafrão
1 Colher de sobremesa de gengibre ralado
1/3 de malagueta vermelha sem sementes
2 Colheres de sopa de polpa de tomate
1 Cebola laminada em rodelas
1/2 cabeça de alhos
2 Paus de canela
1 Estrela de anis
1 Frasco de atum escorrido
150ml leite de côco
sal QB
Pinhões e caju tostados
Rama de funcho e micro vegetais de amaranto

Para o arroz:
200ml Água
100gr Arroz basmati
1 Alho esmagado e picado grosseiramente
Sumo de meia lima
1 Casca de lima finamente picada
1 Haste de funcho finamente picado
Sal QB
1 Nóz de manteiga
Preparação:
1 - Comece pelo arroz, adicionando a água numa caçarola e levando ao lume até ferver.
2 - Junte o sumo de lima e o alho picado grosseiramente.
3 - Acrescente o arroz e tempere com sal.
4 - Deixe em lume brando e tapado cerca de 12 minutos.
5 - Quando cozido, juntar a casca de lima picada e a haste de funcho picada.
6 - Misturar muito bem a nóz de manteiga com um garfo.
Para o caril:
1 - Num recipiente misturar o caril com o vinagre de sidra até formar uma pasta mole.
2 - Adicionar o açafrão, o gengibre, a malagueta e a polpa de tomate, misturar tudo muito bem e reserve.
3 - Numa caçarola, refogue a cebola no oleo de palma até ficar translucida.
4 - Adicione as cabeças de alho, os paus de canela, a estrela de anis e acrescente a pasta de caril.
5 - Coloque o atum sem o desfazer e deixe apurar em lume brando uns minutos com a caçarola tapada.
6 - Acrescente o leite de côco e deixe apurar mais 2 minutos.
7 - Numa frigideira toste os pinhões e o caju, e pique-os grosseiramente.
8 - Faça o empratamento, colocando na base do prato, o molho, o arroz, o caril por cima do arroz e os frutos secos tostados em volta do prato.
9 - Decore com rama de funcho e micro vegetais de amaranto.

Se gostarem visitem o blog “ http://malaguetaman.blogs.sapo.pt/

Ps: Certo, certo é que este caril é bem melhor do que o caril de peixe que a minha mãe fazia :P

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Diz que é uma espécie de Boeuf Bourguignon....

Apesar desta vez eu ter feito uma experiência diferente neste prato, (utilizei vinho do porto, canela e anis), é uma variação do famoso boeuf bourguignon...que por outras palavras é um excelente prato de jantar de convivas. especialmente se houver pessoal mais novo, não só porque o prato é delicioso mas porque os mais pequenos vão entrar em competições para acertar com o nome correcto do famoso prato francês...e tentar soletra-lo e acabar por ser uma trapalhice pegada que tanto faz rir os mais novos como os mais velhos. Devo também dizer que este é um dos meus pratos favoritos, apesar que sempre que o faço, adultero sempre um pouco a receita original.
Uma dica em especial que eu deixo, é que quanto mais barato "rasca" for o corte de vaca, mais saboroso vai ser o resultado final, mas o tempo de cozedura será maior, o que ira permitir a proteína ganhar mais sabor. Outro factor importante é também utilizar um daqueles vinhos baratos de tasca...sim aqueles mesmos que qualquer apreciador de vinho foge a sete pés...portanto, na minha opinião esqueçam elitismos...(pronto, pronto se quiser impressionar aconselho a usar um vinho de borgonha...mas também baratinho). Aqui deixo então a receita, tendo como base o método de preparação utilizado por um dos meus maiores ídolos, Anthony Bourdain :

- 1 kg de carne de novilho para estufar, cortado em cubos de forma grosseira 
- Sal
. Pimenta preta moída
- 100 ml de azeite
- 4 cebolas fatiadas finamente
-  2 colheres de sopa de farinha
- 1 copo de vinho de borgonha ( eu utilizei desta vez vinho do porto só por curiosidade)
- 6 cenouras cortadas aos cubos
- 1 dente de alho
- 1 bouquet garni
- Um pouco de salsa picada
- também adicionei um pau de canela, malagueta desidratada e duas estrelas de anis, o que difere da receita original.



Modo de preparo:
- Temperar a carne de sal e pimenta, e em azeite bem quente corar bem a carne ( pouco de cada vez, pois o objectivo é só ganhar cor e não cozer).
- Depois de a carne estar corada por todos os lados, baixar o lume e refogar a cebola durante 10 minutos na gordura que restou no tacho onde foi corada a carne. Polvilhe a farinha e deixe cozinhar por mais 5 minutos, mexendo ocasionalmente. Adicione o vinho e raspe bem o fundo do tacho. Deixar ferver o vinho e reduzir ligeiramente.
- Coloque novamente a carne, o alho, a cenoura, a canela, o anis, a malagueta e o bouquet garni. Adicionar agua ou caldo de novilho até cobrir o preparado.
- cozinhar o preparado em lume brando durante 2 horas ou até a carne desfazer-se facilmente.

Como sempre espero que gostem e bom apetite.

Grau de dificuldade: Não dá muita luta
calorias: Já vai ter que tirar a ferrugem da bicicleta que está a tanto tempo parada na garagem.
Tempo: 2 a 3 horas


terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Farofias...tatuagens...e nuvens doces...

Para além desta ser uma forma perfeita de aproveitar as claras que por vezes sobram de outras receitas, é uma das minhas sobremesas favoritas. E foi também uma das primeiras sobremesas que aprendi a fazer, juntamente com a D. Angelica, mãe de um dos meu melhores amigos de infância, hoje em dia um excelente tatuador profissional  (quem estiver interessado no trabalho dele pode ver algumas coisas aqui https://www.facebook.com/gil893).
Basicamente nesta receita apenas reaproveitei uns restinhos daqui e ali (inclusive o resto do crumble que sobrou da minha receita anterior) e deu este resultado:


Cá fica a receita e como sempre espero que gostem:

Para as "nuvens"
- 2 claras
- 40 gramas de açúcar
- 1 pau de canela
- 1 raspa de limão
- 250 ml de leite gordo´
- 25 gramas de açúcar

 Para o molho inglês:

150 ml de leite gordo
2 gemas
40 gramas de açúcar
1 vagem de baunilha

Para as "nuvens"
Juntar o leite, o açúcar (40 gramas, o pau de canela e a raspa de limão e levar ao lume a ferver. Bater bem as claras em castelo adicionando aos poucos o açúcar( 25 gramas), até formar um merengue brilhante e consistente. Fazer bolas grandes deste preparado e cozer na calda anterior, aproximadamente 1 minuto de cada lado, que deve ferver em lume brando.

Preparação do molho inglês:

Ferver o leite  juntamente com a vagem de baunilha ( quando usar a vagem, retire todas as sementes e adicione ao preparado, pois é onde esta todo o sabor da baunilha). Noutro aparelho bata o açúcar juntamente com as gemas até começarem a ganhar volume. Adicione o leite aos poucos e leve novamente ao lume brando. Deixar cozer, mexendo sempre, até formar um ponto de estrada na espátula (aproximadamente 10 a 15 minutos). Deixar arrefecer e colocar no frio.

Grau de dificuldade: Não dá para suar...
Tempo: 1:30
Calorias: É melhor não olhar para a balança...